WWW.ROCKGAME.COM.BR

Batman: Arkham Asylum – Análise

Posted on: 29/08/2009

batmantop

Produtora: Rocksteady Distribuidora: Eidos/Square Enix Gênero: Aventura

Plataforma: X360/PS3/PC    Analista: Fabian Kurayami (Equipe HardCore Gaming) Editado por: Gustavo Rodrigues (Equipe Rock Games)

______________________________________________________________________________________

______________________________________________________________________________________

Adaptações de quadrinhos para games sempre foram vistos com descrença pelos gamers hardcore. Também pudera, a maioria das produções do gênero esbarrava na mediocridade e decepcionavam os fãs. Desde que foi revelado, entretanto,  Batman: Arkham Asylum acendeu as esperanças do público. Com belos gráficos e muitas promessas, o jogo da desconhecida Rocksteady se tornou a maior aposta de redenção das famigeradas adaptações.  Descubra agora se Arkham Asylum está mais para Christopher Nolan ou Joel Shumacher.

Bem vindo á Arkham

Batman-Arkham-Asylum_02

Desde os primeiros minutos Arkham Asylum chama a atenção com um estilo artistico único. Os personagens são chamativos, e um pouco exagerados, mas incrivelmente bonitos. O estilo da Wildstorm, sempre influenciado pelo mestre Jim Lee, fica claro. Os cenários são coloridos mas bastante sombrios. Há nuances de Bioshock e clara referência ás fases mais góticas e fantásticas do Cavaleiro das Trevas. O jogo consegue ser bastante climático e envolver o jogador em um ambiente de tensão sem nunca deixar de colocar Batman como um predador obcecado pela justiça.

A história é decente e funcional. Está a serviço da variedade de inimigos, ambientes e mudanças situacionais na gameplay. É um roteiro ferramenta e não um roteiro condutor. Não espere reviravoltas ou momentos dramáticos ou memoráveis. A história de Arkham Asylum é bem simples mas nem por isso deixa de brilhar. Os vilões foram bem utilizadose inseridos no contexto, o que impede de criar algo que eu temia, uma mistureba sem sentido.

Outra característica admirável na apresentação da obra da Rocksteady é a arte e design dos menus. Dos mapas á tabela de evolução do personagem passando pelos profiles dos personagens e até mesmo a “pausa” do jogo, tudo é incrivelmente estiloso e belíssimo.

Imagens da Loucura

Batman_e_joker2

Batman: Arkham Asylum faz uso da popular Unreal Engine para a criação dos seus visuais e o faz com perfeição. Os cenários são imensos com boa modelagem e ótima texturização. A iluminação segue o mesmo padrão de qualidade mas carece de maior realismo e contraste. Os personagens também foram muito bem criados, as superfícies de pele e diversos materiais de roupa são facilmente distinguíveis e a iluminação cria brilhos onvincentes em suas superfícies.

Artisticamente o jogo é simplesmente perfeito. Uma grande reclamação de minha parte nesta geração é o excesso de repetição visual mesmo em jogos com gráficos de altissima qualidade. A Rocksteady pareceu atenta a isso e mesmo fazendo todo o seu jogo no Sanatório Arkham, fez questão de criar uma grande diversidade de ambientes. São cenários góticos, com foco em plantas, tecnológicos, ruínas, cavernas… Posso dizer que em uma sequência em particular de plataforma parei alguns segundos para observar os belíssimos ambientes de montanhas rochosas florescendo no mar com a iluminada cidade de Gotham ao fundo. Sensacional.

A movimentação dos personagens é um aspecto que poderia ser melhorado. Há uma certa artificialidade no modo em que os antagonistas se movimentam, isso sem mencionar a pouca variedade de animações dos mesmos. Depois de algumas horas este problema começa a ser verdadeiramente crasso. Outra reclamação é que não raramente ocorre clipping, ou seja partes de personagens “atravessam” outros.  Entretanto não são problemas que impedem que o trabalho da Rocksteady brilhe.

Som da Noite

batman_arkham_asylum_screen

Para a dublagem a Rocksteady escalou um time experiente e que possui o respeito dos fãs do Morcegão. Kevin Conroy – que nunca me agradou completamente – reprisa seu papel como o Cavaleiro das Trevas. É importante destacar que apesar de Conroy não ser exatamente meu ídolo ele é extremamente respeitado pelos fãs por seus trabalhos como dublador em todas animações de Batman dos anos 90 em diante. Como Coringa (Joker) foi Mark Hammil o escolhido para o trabalho. O eterno Luke Skywalker já havia feito um ótimo trabalho no desenho da TV, mas em Arkham Asylum ele se supera. Seu Coringa é clássico e extremamente eficiente. Difícil imaginar uma voz melhor para o Coringa dos quadrinhos. As outras vozes foram bem escolhidas e funcionam de modo igualmente harmônico.

A trilha sonora é bastante discreta mas quando aparece beira a perfeição. As melodias variam entre tensão e melancolia, uma escolha corajosa frente ás óbvias músicas épicas normalmente escolhidas pelos jogos de videogame.

Cavaleiro das Trevas

batmanarkhamiseeyou

Apesar de tudo ir bem, sejamos honestos, se a jogabilidade não funcionar não tem salvação. Felizmente podem ficar aliviados, Batman: Arkham Asylum funciona muito, muito, mas muito bem.

A Rocksteady, corajosamente, escolheu o caminho mais difícil. Ao invés de copiar alguma franquia de aventura e ação já existente, os ingleses criaram um jogo com muita personalidade, que se afasta da ação genérica. Ao contrário do que muitos esperavam, o foco do jogo não é os combates. Arkham Asylum é um jogo de aventura com bastante variedade. Alternam-se momentos de exploração, furtividade, plataforma e combate. Uma mistura extremamente bem realizada que não se destaca em nenhum aspecto específico mas na soma das partes se mostra excepcional.

O sistema de luta é funcional e bastante simples, guarda semelhanças com Fable II, ou seja privilegiando a atenção do jogador e o timing ao invés da habilidade em apertar os botões corretos. Os confrontos com chefes fogem da porradaria óbvia e trazem momentos de extrema criatividade como os incríveis confrontos com o Espantalho (Scarecrown), sequências que arriscam a aproximação dos videogames com a arte. Há combate que faz referência aos clássicos Megaman, que privilegia a tensão e a fuga além das lutas mais óbvias como o confronto com Bane.

O sistema de plataforma é intuitivo. Não há botão de pulo, basta correr em direção a uma borda que Batman saltará automaticamente. Segure o botão de corrida enquanto salta e ele abrirá sua capa e começará a planar. Na verdade é o uso dos acessórios tecnológicos de Wayne que dão o tom desta faceta da aventura. Utilizando RB/R1 Batman lança seu gancho e sobe até o alvo. Há tambem o Parallel Line que permite que o protagonista atravesse grandes vãos horizontais. A plataforma se mescla á exploração na medida que será necessário bastante atenção do jogador em certos momentos para seguir avançando. Além disso Arkham Asylum guarda uma quantidade sem fim de segredos opcionais. Backtracking será necessários em vários momentos, mas a Rocksteady está sempre atenta em acrescentar uma nova experiência ao jogador semrpe que ele é obrigado a voltar a certa localidade.

Outro destaque da exploração é o Detective Mode.  Com ele é possível seguir rastros inimigos além de ter o destaque de elementos de cenário que podem ser utilizados a seu favor como sistemas de ventilação, paredes que podem ser explodidas, e terminais sucetíveis a hacking. Este modo também destaca inimigos através de paredes e determina se estão ou não portando armas de fogo. É ai que entra a furtividade. Com o Detective Mode, é possível armar estratégias de aproximação e abatimento de inimigos. Lembrem-se, Batman é um homem comum e armas de fogo são letais. Uma boa estratégia, furtividade e o uso inteligente dos gadgets do morcegão serão necessários para seguir vivo.

O jogo tem muitos extras como fitas das entrevistas dos vilões com os psiquiátras – são ótimas e definitivamente valem o esforço de procurá-las – Troféus do Edward Nigma (O Charada) que estão bem escondidas e abrem “estatuetas” virtuais dos personagens e charadas a cada novo ambiente que são bem interessantes e são resolvidas escaneando a resposta com o Detective Mode.

Enfim, o jogo consegue imergir o jogador no papel de Batman. Um predador furtivo, um combatente habilidoso, um detetive genial mas ainda assim um homem comum que pode ser abatido com algumas balas.

Conclusão

arkham-asylum

No final de Batman: Arkham Asylum fica o alívio. o meu mais querido personagem dos quadrinhos ganhou um jogo á sua altura. O jogo não só é a melhor adaptação de todos os tempos como é seríssimo candidato a melhor jogo do ano. É bonito, polido, imersivo, criativo, muito variado e com excelente ritmo que faz as 12 horas de jogo voarem.  Tão complexo e, ao mesmo tempo, acessível como a dramática saga do Cavaleiro das Trevas.

Um jogo de aventura daqueles raros que fazem a dor do final ser aliviada somente pela possibilidade de jogar mais uma vez.

Mais & Menos

+ Bela direção artistica

+ Os confrontos com o Espantalho são memoráveis

+ Imerssivo, faz o jogador sentir-se como batman

+ Cheio de segredos incentivam a continuar jogando

– Mecânica de combate poderia ser mais rica

Notas

Apresentação: 9,0

Gráficos: 9,0

Som: 9,0

Jogabilidade: 9,0

Diversão: 10,0 (x2)

opiniaodogustavo

Ainda não tive a oportunidade de jogar Batman: Arkham Asylum, mas joguei a demo.

Pra mim este concertesa é o jogo do ano no momento, mas acho que quando sair outros games deve acabar com está fama dele.

Não irei dar muito minha opinião aqui, já que afinal nem é muita coisa, como não joguei o jogo ainda não posso falar nada, e se fosse dizer somente com base no que já vi do jogo não iria tar dando uma opinião concreta, e sim estaria somente transmitindo as dos outros. Mas o importante é que ta ai a review, quando eu jogar o jogo e tiver um pouco animado, venho aqui e atualizo com a minha opinião galera, e vocês já sabem né que vai ser muita coisa.

opiniãodogustavo

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

@RockGamesRG

Novo Rock Games visite

novorg

Arquivo MD

Novo Rock Games

novorg

%d blogueiros gostam disto: